Agostinho e a sua crítica ao ceticismo no Contra Academicos

Nome: Ruan Coutinho da Cruz
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 20/06/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Jorge Augusto da Silva Santos Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Barbara Botter Examinador Interno
Jorge Augusto da Silva Santos Orientador
Nilo César Batista da Silva Examinador Externo
RICARDO CORREA DE ARAUJO Suplente Interno

Resumo: A presente pesquisa se propõe a analisar os contra argumentos que Agostinho faz ao ceticismo na sua obra Contra Academicos. Esses argumentos são: a questão da felicidade, da verossimilhança, da impossibilidade do conhecimento e da prescrição da suspensão do juízo. Essas temáticas eram defendidas dentro da Academia no período liderado por Arcesilau e Carnéadas e iam de encontro a doutrina estóica. O embate filosófico de Agostinho com a doutrina cético-acadêmica não era puramente teórica mas sim existencial. É assim tratado o percurso de vida e o itinerário intelectual dele como estando intimamente ligados. Uma analise sobre a estrutura do Contra Academicos e o conceito de philosophia nos escritos do retiro filosófico de Cassiacico revelam a motivação e as razões para que Agostinho tenha empreendido um embate
contra o ceticismo acadêmico. A busca e a posse da verdade como possíveis era o objetivo de Agostinho, que a identifica com a pessoa de Cristo (Sabedoria de Deus). De maneira esforçosa se procurará oferecer ao leitor desta dissertação um conhecimento sobre a a vida, o pensamento e as nuances do jovem Agostinho nesse período.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910